Agende-se
Ato em Defesa da Aposentadoria

SEEB convida para Ato que começa às 10 horas em frente ao INSS de Blumenau.Venha participar! É a minha, a sua, a aposentadoria do povo brasileiro que está em jogo!

Vídeos
Em defesa da Caixa!

Palestra discute os papéis sociais da mulher e a violência machista

Palestra discute os papéis sociais da mulher e a violência machista
Leo Montes

Evento promovido pelo SEEB Blumenau e Região teve como objetivo ressaltar o caráter de luta do Dia Internacional da Mulher

Como é a violência sofrida pelas mulheres? O que é o machismo? E, numa sociedade machista, o que é ser homem? Reflexões como estas guiaram nesta quinta (07/MAR) a palestra Menino veste azul, menina veste rosa: a vida deve ser colorida, de Rosane Magaly Martins, do Instituto Feminista Nísia Floresta.

Advogada, pós-graduada em Gerontologia e mestranda em Educação pela FURB, escritora e ativista, Rosane expôs em palavras e dados estatísticos alguns dos traços da dominação que as mulheres sofrem diariamente, em carne e osso.

Os contornos do machismo
Rosane exibiu um vídeo do dia 02 de janeiro, em que a pastora Damares Alves, atual titular do novo Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos comemora "uma nova era no Brasil", em que "Menino veste azul e menina veste rosa".

Com a apresentação do vídeo, a escritora inicia a palestra comentando as diferenças na criação: por um lado, as normas sociais prescrevem aos homens o destemor, a conquista do espaço público, o desenvolvimento intelectual e a liberdade. Por outro lado, à mulher estão prescritas, por exemplo, as atitudes delicadas e submissas, a reclusão ao espaço privado, os afazeres domésticos e o cuidado da família. As severas restrições impostas às mulheres são perpetuadas geração após geração.

Além da violência sexual, de que a mulher nunca está livre, quando chega a idade laboral enfrentam novas injustiças: da dificuldade de matricular os filhos em creches ao prejuízo na empregabilidade e ascensão profissional mais dificultada. E hoje, ataques contidos na Reforma da Previdência e em projetos de lei de cunho fundamentalista, que abole a interrupção intencional da gravidez mesmo nas hipóteses legalmente previstas, para gestações de risco de morte para a mãe, estupro e anencefalia.

Estatísticas da violência contra as mulheres
Rosane trouxe estatísticas recentes da violência contra a mulher no Brasil e no estado de Santa Catarina. Segundo a advogada, citando levantamento do IBGE, o ano de 2018 reservou às mulheres brasileiras o número alarmante de 1,6 milhão de agressões registradas; uma média de 536 agressões/hora. E cita ainda que 42% da violência contra as mulheres ocorre no ambiente doméstico, onde geralmente se supõe que estariam em segurança.

Já sobre Santa Catarina, Rosane cita dados da Secretaria de Segurança Pública, também de 2018, que registram 21.147 lesões corporais contra mulheres, 689 tentativas de estupro, 2.958 estupros consumados, 66 feminicídios e 280 tentativas.

O atendimento às vítimas
Algumas das dificuldades para acolhimento das mulheres em Blumenau foram discutidas entre mulheres no auditório, a assistente social Tatiana Venuti, do Centro de Referência Especializado de Assistência Social e do Grupo Reflexivo de Mulheres em Situação de Violência Doméstica. Em seguida, a advogada Elsa Bevian, também do Nísia Floresta e do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Blumenau esclareceu o papel do CDDH na proteção da mulher blumenauense. A falta de pessoal ou a capacitação adequada para delicada tarefa de atender mulheres vítimas de violência de gênero, não faltam exemplares nos quais a demora nas medidas de proteção da mulher resultaram em nova agressão ou mesmo em feminicídio.

Fonte: Léo Montes - bancário da Caixa | 08/03/2019
SEEB - Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Blumenau e Região
Rua Coronel Vidal Ramos, nº 282 - CEP: 89010-330 - Centro - Blumenau
Fone: (47) 3326.3116 | Fax: (47) 3322.5036
Criação e desenvolvimento de sites