Agende-se
XI Costelaço Seeb Blumenau

Dia 24 de agosto acontece o XI Costelaço em comemoração ao Dia do Bancário. Será na Sede Campestre. Agende-se!

Vídeos
Em defesa das empresas públicas

STF pauta para 23 de maio julgamentos sobre homofobia e contribuição sindical

STF pauta para 23 de maio julgamentos sobre homofobia e contribuição sindical

22 de abril de 2019

Debates foram interrompidos por dois meses

O Supremo Tribunal Federal (STF), voltará a julgar nesta terça-feira (23) a Medida Provisória (MP) 873, que se refere a contribuição sindical. Na data, também serão debatidas duas ações sobre a criminalização da homofobia.

Contribuição sindical

De acordo com o site Consultor Jurídico, a pauta vai discutir a validade de dispositivos da Lei 11.648/08, que regulamentaram o funcionamento das centrais sindicais e a destinação do imposto sindical para as centrais. O julgamento foi iniciado em 2009 e estava suspenso desde 2010, com vista do ministro Ayres Britto. O relator, ministro Joaquim Barbosa, votou pela inconstitucionalidade da regra que prevê a destinação de percentual da contribuição às centrais, por entender que não integram a estrutura sindical e não podem substituir as entidades sindicais (sindicatos, federações e confederações) nas situações definidas na Constituição Federal ou na lei. 

Em 2015, o Plenário retomou a discussão. O ministro Luís Roberto Barroso e a ministra Rosa Weber apresentaram votos no sentido da constitucionalidade da norma. No próximo mês, o julgamento será retomado com o voto-vista do ministro Gilmar Mendes.

A contribuição sindical é discutida também em ações que impugnam a Medida Provisória 873. Em 15 de março, o ministro Luiz Fux aplicou o rito abreviado ao trâmite de ações que questionam a constitucionalidade da MP, editada no dia 1º de março pela Presidência da República. Por ela, os sindicatos não poderão definir em assembleias ou outros tipos de negociação coletiva descontos em folha de salário para pagamento de contribuição sindical. O trabalhador terá que dar autorização expressa e individual por escrito para pagar a contribuição em boleto.

Para Dr. Jefferson Oliveira, assessor jurídico da Contraf-CUT, essa medida é um ataque aos trabalhadores, pois quer acabar com todas as formas de contribuição para os Sindicatos e enfraquecer a representação dos trabalhadores. “Podemos interpretar essa atitude do governo como uma tentativa de enfraquecer as entidades sindicais. Os sindicatos defendem e protegem os direitos dos trabalhadores, além de garantir os acordos coletivos negociados por cada categoria, como os aumentos salariais, por exemplo”, afirmou.

Fonte: Contraf-CUT | 25/04/2019
SEEB - Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Blumenau e Região
Rua Coronel Vidal Ramos, nº 282 - CEP: 89010-330 - Centro - Blumenau
Fone: (47) 3326.3116 | Fax: (47) 3322.5036
Criação e desenvolvimento de sites